A importância da consciência fonológica para a competência em leitura e escrita

Certos aspectos do desenvolvimento da linguagem na primeira infância, tais como a taxa de crescimento do vocabulário predizem com que facilidade uma criança aprenderá a ler e a escrever quando entrar na escola. Entretanto, um componente específico do desenvolvimento da linguagem na primeira infância – a consciência fonológica – parece ser especialmente importante. Consciência fonológica é a consciência de uma criança a respeito das regras que governam os padrões sonoros específicos à sua própria língua. Ela também inclui o conhecimento daquele sistema particular da língua para representar sons com letras.

Fonoaudiólogos têm evidências abundantes de que crianças fonologicamente mais conscientes aos 3, 4 ou 5 anos posteriormente aprendem a ler com muito mais facilidade. Além disso, sabe-se que se professores treinarem crianças pré-escolares e do jardim de infância habilidades de consciência fonológica, suas habilidades de leitura no 1º ano melhoram – um resultado encontrado em milhares de estudos nacionais e internacionais.

Naturalmente, uma criança não tem que adquirir consciência fonológica na primeira infância. As habilidades fonológicas podem ser aprendidas no ensino fundamental por meio de instrução formal. Entretanto, inúmeros estudos demonstram que quanto maior a consciência fonológica de uma criança antes de entrar na escola, mais rápido ela aprende a ler. Ganhos maiores na consciência fonológica parecem ocorrer entre o quarto e quinto aniversário das crianças, exatamente antes de a maioria entrar no jardim de infância.

Estudiosos do assunto também constataram que muitas atividades diárias que crianças da pré-escola fazem promovem o desenvolvimento da consciência fonológica. Por exemplo: aprender e recitar rimas infantis contribui para a consciência fonológica, jogos em que uma pessoa diz uma palavra e outra diz uma segunda palavra que começa com o som final da primeira, ajudam as crianças a desenvolver essas habilidades. Também há estudos que apontam que a leitura compartilhada contribui para o crescimento da consciência fonológica.

Portanto, as evidências sugerem que uma das melhores formas de pais, professores e fonoaudiólogos ajudarem crianças pequenas a se preparar para o ensino formal em leitura é envolve-las em atividades que encorajem o jogo de palavras!

About the Author:

Graduada em Fonoaudiologia (2009), mestre (2011) e doutora (2016) em Ciências Aplicadas à Saúde do Adulto pela Faculdade de Medicina da UFMG. Realizou cursos no Centre de Linguistique Appliquée (Université de Franche-Comté) – França (2013). Participa anualmente de congressos internacionais, sendo o de 2015 em Monterey na Califórnia/EUA. Publicou estudos importantes nos periódicos Journal of Communication Disorders e Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Atualmente participa do grupo de pesquisas em Neurofibromatoses do Hospital das Clínicas da UFMG. Tem experiência clínica nas áreas de audiologia e linguagem, com ênfase em processamento auditivo, treinamento auditivo, distúrbios de linguagem e aprendizagem. Currículo completo: http://lattes.cnpq.br/1978022333477136

  1. Luciana 10 de janeiro de 2019 at 09:00 - Resposta

    Parabéns por retratar esse assunto tão importante. Mas para trabalhar a consciência fonológica as escolas teriam que ter o profissional fonoaudiólogo assessorando os professores.
    Não devemos esquecer que o profissional responsável é o fonoaudiólogo.

Deixe um Comentário

Este site usa o plugin Akismet para reduzir spam. Você pode aprender aqui como seu comentario é processado antes de ser publicado.

MENU

INSCREVA-SE

Receba automaticamente novos posts por e-mail

Nome e Sobrenome:

Endereço de e-mail